Nossa História

Sylvia, Laís e Fofa queriam conhecer mais sobre o país em que viviam e, por isso, escolheram ir para a maior região do Brasil: a Amazônia Legal brasileira, que ocupa 60% do nosso território. Mas elas não queriam ir, aprender, conhecer e não deixar algo para quem elas conheceriam no caminho. Queriam trocar, aprender e ensinar, e foi aí que tiveram a ideia de levar livros e formar mediadores de leitura pelos lugares onde passassem.

Então, em 2001, as três amigas partiram para implementar um projeto piloto em municípios do Pará. A ação foi tão bem aceita pelas comunidades que, em 2002, elas fizeram uma viagem de dez meses por todos os estados da Amazônia Legal brasileira, levando livros e formações por 53 comunidades rurais.

Quando voltaram para São Paulo, onde ficava a pequena sala que haviam alugado para ser o escritório desse projeto, elas encontraram muitas cartas pedindo para que voltassem, pois havia muitas outras comunidades querendo bibliotecas e pessoas querendo formações, e foi assim que nasceu a Vaga Lume!

Por que esse nome?

Chamamos Vaga Lume porque muitos desses bichinhos vivem nas comunidades rurais onde existem as bibliotecas comunitárias. E, além disso, ele é um inseto que acende e ilumina, e gostamos de pensar que os livros e os mediadores de leitura fazem a mesma coisa: iluminam por onde passam!